lago di como [lenno, menaggio, varenna e bellagio]

Vou ser sincera: adoro um bom cliché. Por isso não foi preciso muito para a romântica que há em mim começar a borbulhar de excitação à medida que nos fomos aproximando das margens do Lago di Como, a jóia da coroa dos lagos italianos.

É verdade que este é o lago que recebe a maior parte dos visitantes desta região, em busca do ambiente cinematográfico emprestado pelas celebridades, mas mesmo assim, foi possível encontrar os recantos encantadores que lhe dão a reputação de epítome do romantismo italiano à beira lago.
A forma do Lago di Como assemelha-se a um ‘Y’ invertido e as suas cidades principais, Lecco e Como, situam-se nas extremidades a Sul dos 2 braços inferiores.
Saltámos as cidades principais e optámos por basear-nos na zona de confluência dos 3 braços de lago, o Centro Lago, onde se destacam localidades com características especiais: Lenno e Tremezzo com as suas maravilhosas villas neo-clássicas, Menaggio com a sua localização perfeita, Varenna e Bellagio para os românticos mais incuráveis.

Percorremos uma das estradas mais pitorescas da Europa, num ziguezaguear onírico ao longo de margens cercadas de vegetação abundante, pontuadas por flores e jardins sumptuosos. Mas uma vez estabelecidos, descobrimos que o melhor meio de transporte para aproveitar o Lago di Como é, de longe, o barco.
Em Tremezzo encontramos uma das villas mais famosas do Lago, a Villa Carlotta, pelos seus jardins dispostos em terraços onde é fácil perder a noção do tempo.
É muito mais interessante ver estas casas, que nos fazem lembrar de outros tempos mais glamourosos, navegando no lago.

Em Ossucio existe uma abadia Românica, dedicada a Santa Maria Maddalenna, do séc. XII, que despertou a minha curiosidade pela sua singularidade.

Pequenas marinas para atracar barquinhos são uma constante, assim como passagens junto ao lago que convidam a mergulhos. Em frente a Ossucio está a misteriosa Isola Comacina, a única ilha do Lago di Como.

Em Lenno, a maravilhosa Villa Balbianello, a minha preferida, pela sua localização genial na ponta de uma península arborizada onde só chegamos depois de 1h de caminhada, ou de barco.

Na loggia panorâmica, as vistas para o Lago são deslumbrantes. O esplendor do jardim, o cheiro das flores e do pinheiro mediterrânico, o clima ameno e o enquadramento da arquitectura na Natureza brindam este local com uma atmosfera única. É difícil não me imaginar num cenário de filme. Adivinham qual?

Menaggio, a meio da margem Oeste do Lago di Como, usufrui de uma localização privilegiada desde os tempos dos romanos. Nessa altura, fazia parte da Via Regina, a estrada real, que ligava Cremona a Milão por antigos caminhos usados por marinheiros, soldados e comerciantes, ao longo da margem do Lago.

O coração da vila é a Piazza Garibaldi com os seus edifícios do séc. XIX pintados de cores suaves, pequenas lojas de artesãos a vender produtos locais, restaurantes, cafés, e a elegante promenade junto ao lago abrigada pela sombra das árvores e salpicada de flores.

Existem muitos barcos que ligam Menaggio a Varenna, na margem Este, uma das vilas mais pitorescas do Lago onde parece que o tempo parou.
Depois de desembarcar no pequeno porto, caminhamos ao longo do Lago apreciando as casas coloridas que se amontoam colina acima.

Destaca-se o campanário de Igreja San Giorgio e, no topo da colina, o Castello di Vezio, uma fortaleza construída numa espectacular posição de vantagem táctica perante ataques de inimigos.

Varenna também é conhecida pelas suas villas centenárias, a Villa Monastero, um antigo mosteiro que hoje é um jardim botânico com muitas espécies de plantas raras e a Villa Cipressi que hoje é um luxuoso hotel.

Na Piazza San Giorgio, o centro de Varenna, encontramos a Igreja de San Giorgio, e a capela de San Giovanni Battista, do séc. XI, um dos edifícios mais antigos do Lago Como.

Diz-se que nenhuma visita ao Lago di Como estará completa sem passar por Bellagio, conhecida como a “pérola do lago”.

Bellagio localiza-se num promontório mesmo no centro do Lago, na convergência dos seus três braços, e por isso desfruta da mais abrangente e luminosa vista sobre as águas. Mas as ruas estreitas e íngremes que nos levam para o interior da vila também são muito especiais.
Lago di Como, foste o local perfeito para superar todas as expectativas desta romântica incurável, por ali perdida nas ruelas de gelado na mão.

Um delicioso cliché.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s