ushuaia

O grande plano de marketing turístico de Ushuaia, a maior cidade da Terra do Fogo, deriva da sua localização geográfica e panorâmica, na margem do Canal Beagle, e baseia-se no conceito de fim do mundo.
“Bem-vindo! Chegou ao fim do mundo!” mostra o cartaz no centro da cidade.
Sempre achei esse slogan um pouco limitador. A viagem de autocarro desde Puerto Natales é muito longa, atravessa paisagens desérticas e estéreis, mas na verdade não senti ter chegado ao fim do mundo quando finalmente me vi na cidade.
Nem de perto nem de longe.

Primeiro porque é uma cidade enorme. Foi a maior cidade em que estivemos nesta viagem à Patagónia e Terra do Fogo, uma zona franca que nas últimas décadas se desenvolveu exponencialmente e que apresentou oportunidades de prosperidade aos seus habitantes.

Depois porque, de facto, o mundo não acaba em Ushuaia. E isso nota-se.
Do outro lado do Canal Beagle, a vila chilena de Puerto Williams vai-se desenvolvendo com a crescente demanda turística e a localização destas cidades na zona do planeta mais próxima da Antárctida, faz com que existam muitas agências especializadas em organizar cruzeiros com destino ao continente branco e ao Cape Horn.
Muitas das pessoas que chegam à cidade continuam ainda em direcção a Sul.
Não parecem existir limites.

Ou seja, mesmo com a Antárctida a menos de 1000 km de distância, não encontrei os pubs poeirentos e parados no tempo onde, no meu imaginário, se costumavam juntar velhos lobos de mar, a beber whisky, à espera de boleia para uma qualquer expedição em direcção ao grande desconhecido.

Antes pelo contrário. A cidade vibra de agitação de pessoas que se vão movimentado entre experiências outdoor, lojas de roupa de aventura, mercearias vintage que viraram bares, chocolatarias gourmet e restaurantes que servem as maiores (e mais deliciosas) santolas que já vi.

O movimentado porto de Ushuaia faz parte integrante da dinâmica da cidade.
Misturam-se os cargueiros que atracam e zarpam carregados de contentores e os barcos de lazer, sejam os cruzeiros para a Antárctida ou os barcos turísticos de navegação no Canal Beagle, que proporcionam aos visitantes uma observação muito próxima da fauna característica desta região, como os lobos marinhos e cormoranes.Ushuaia é uma cidade bem viva onde a única coisa que está realmente parada é o navio St Christopher, o rebocador encalhado no porto desde 1954.

Desculpa Ushuaia, mas não me soubeste a fim do mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s