sardegna: where to

A Sardenha é daquelas ilhas que pode muito bem ser amor à primeira vista: algumas das melhores praias de sonho a encontrar na Europa, mistérios da história do Mediterrâneo para descobrir, baías escondidas para andar de kayak, trilhos de montanha para explorar, um interior selvagem e gastronomia de comer e chorar por mais… a Sardenha pode muito bem ser uma história de amor com tudo para dar certo.

Mas deixo já aqui um aviso à navegação: uma semana é pouco para conhecer a Sardenha. A ilha parece pequena no mapa, mas quando planearem as vossas escapadelas não pensem na Sardenha como aquela alternativa à semaninha em Santorini ou Maiorca… porque são ilhas que não jogam na mesma divisão.

Digo isto porque foi exactamente isso que fiz.
Conclusão: em uma semana só consegui explorar metade da ilha… e nem por isso sou de ficar parada.
Cagliari
 
Dizem que a melhor maneira de chegar a Cagliari, a capital da ilha, é de barco, com o Sol a iluminar as fachadas douradas. Quando DH Lawrence chegou em 1920, achou que era uma cidade “estranha e pouco parecida com Itália”.
Pois a verdade é que Cagliari está mais perto da Tunísia do que de Roma, mas assim que saio do porto, as ruas cheias de vespas, e os cafés com cappuccinos e croissants, não me deixam esquecer que estou em Itália.

Cagliari foi fundada pelos fenícios, alcançou o seu máximo esplendor durante o império romano e desde então vieram árabes, bizantinos, espanhóis (catalães), saboianos e italianos.
O bairro medieval da Citadela, dentro das muralhas é conhecido por Su Casteddu e alberga os antigos palácios da aristocracia, a catedral e a torre do elefante construída em 1307.
Villasimius
 
A estrada de Cagliari para Villasimius, a partir de uma certa altura transforma-se num curva e contra curva, na beira da falésia junto ao litoral, que me faz querer parar a cada quilómetro só para ficar a olhar para o mar.
Mari Pintau é o nome de uma praia e uma expressão da Sardenha que quer dizer “Mar Pintado”.
Sim, o mar da Sardenha é mesmo azul azul.
Ulassai e as montanhas
 
Ulassai é uma vila pequenina empoleirada nas montanhas do distrito de Ogliastra. As suas principais atracções são os penhascos que dominam a paisagem, cavernas misteriosas e vestígios do antigo povo Nuraghi.
Mais à frente encontramos o desfiladeiro mais espectacular da Sardenha, com mais de 400m de profundidade, o Su Gorropu, perfeito para actividades como trekking e canyoningno Rio Flumineddu.
 Golfo di Orosei
 
O Parque Nacional do Golfo di Orosei é o maior parque nacional da Sardenha onde as montanhas do planalto de Supramonte encontram abruptamente o mar formando uma meia-lua de falésias dramáticas rasgadas por pequenas baías e enseadas que guardam praias banhadas por águas de um azul aquamarino, muitas delas apenas acessíveis por mar.

A partir de Cala Gonone é possível alugar um barquinho a motor e partir à descoberta destes 24 km de paraíso na costa Leste da Sardenha, passando por Cala Luna, Cala Mariolu, até chegar a Cala Goloritze, uma praia património da Unesco.

Também é possível chegar a Cala Goloritze a pé, desde Baunei, depois de uma caminhada de 2h.
Para além deste beach hopping estilo “cast away”, o Golfo di Orosei também oferece muitas opções de escalada nos penhascos da Cala Luna e uma assombrosa e intrépida experiência de trek/montanhismo, conhecida por Selvaggio Blupara muitos um mito.
San Teodoro
 
À medida que nos aproximamos da famosa Costa Smeralda vai aumentando o nível de cosmopolitismo e San Teodoro surge como um bom poiso alternativo às super inflacionadas paragens mais a norte. Tudo o resto também existe por lá, a animação noctura, as festas, os belíssimos restaurantes (o LiMori p. ex. devia ser elevado a tesouro nacional), mas ainda como uma certa sensação de estarmos no campo.

Existem muitos tipos de praias na Sardenha, de falésia, de rocha, escondidas, inacessíveis, de areia grossa, de areia fina, pequenas, grandes, com e sem ondas. Na zona de San Teodoro encontramos os grandes areais de perder de vista com a areia (mesmo) tão branca e água (mesmo) tão transparente.
Costa Smeralda
 
Porto Cervo, a auto-intitulada capital da Costa Smeralda, e as zonas arredores concentram a maior parte dos hotéis de luxo da Sardegna. É este o destino preferido das famílias aristocratas europeias, das estrelas de cinema e jogadores de futebol, que aqui rumam nos meses de verão nos seus iates e veleiros.

A beleza do local é inegável, mas tal como em Capri ou Portofino ou outros locais de turismo de luxo italiano, qualquer estadia mais prolongada é proibitiva.
Esta zona começou a ser desenvolvida pelo príncipe Aga Khan nos anos 60, por isso checkamos a onírica Spiaggia del Principe (nomeada em honra dele) e seguimos caminho.
Arquipélago La Madallena
 
O arquipélago das ilhas La Madallena, na zona sul do estreito que separa a Sardenha da Córsega é uma zona protegida e um dos locais mais atractivos da ilha no que diz respeito a paisagens marinhas e a praias maravilhosas.
Apanhamos um ferry em Palau e visitamos a ilha La Madallena e a ilha Caprera, o reduto privado do herói italiano Garibaldi.

A beleza natural deste local é encantadora, as paisagens de ilhotas rodeadas ora da bruma da manhã ora das águas cristalinas, tudo sempre envolvido no aroma a alecrim e tomilho que nasce no meio das rochas, fazem com que os sonhos levantem vôo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s