FLORES, the pink

As Flores sempre foram um ponto estratégico no Atlântico: um ponto de apoio para os navios que atravessavam o Oceano e um paraíso de oportunidades para os piratas que aguardavam a passagem de galeões espanhóis vindos das Américas ou de naus portuguesas vindas das Ásias.
Paraíso… uma palavra que ganha todo um novo significado assim que visitamos a ilha das Flores, onde apanhamos a maior overdose de paradise dos últimos tempos.
Mas não vou perder muito tempo a tentar explicar porquê. See for yourselves!
 
1 – Fajã Grande e Fajãzinha
Mal aterramos nas Flores conhecemos um florentinho que nos diz o seguinte:
“Vão para a Fajãzinha. Lá, todos os problemas da vossa vida vão desaparecer”.
Uma espécie de profecia, sem grandes floreados ou justificações.
Gosto sempre de ver gente com orgulho nas suas coisas, orgulho no que faz, nos amigos, no país. Desta vez, confesso, talvez tenha achado um pequeno exagero.
Mas quando nos aproximamos percebemos o porquê deste orgulho e amor pela terra.
A zona da Fajã Grande e Fajãzinha apresenta-se-nos como uma das mais soberbas paisagens de litoral açoriano. À beira do Atlântico, mesmo à frente dos nossos olhos, ergue-se, sem dó nem piedade, uma inacreditável parede de um verde intenso de onde se despenham dezenas de imponentes quedas de água.
Um cenário idílico que atinge o seu expoente máximo no Poço da Alagoínha, numa paisagem absolutamente incrível que nos convida a uma contemplação envolvente e mágica, onde é difícil não nos apaixonarmos.

2 – A costa
A costa das Flores é pontuada por ilhéus, grutas, baías, quedas de água e relevos peculiares que apenas se podem alcançar percorrendo trilhos pedestres.
Uma das caminhadas mais espectaculares da ilha é na Costa Norte, desde a Ponta da Fajã até Ponta Delgada e ao farol de Albarnaz, sempre na beira da falésia mais ocidental da Europa. Mais info aqui.
3 – O poço do bacalhau
Uma das cascatas mais acessíveis das Flores onde é possível tomar banhos refrescantes, na Fajã Grande.
4 – A aldeia da Cuada
A Aldeia da Cuada é o turismo rural mais fenomenal da ilha, construído com o reaproveitamento de uma aldeia, abandonada desde os anos 60.
A aldeia mantém-se como antigamente e é evidente o carinho depositado na reconstrução de cada casa, cada uma com o nome do seu antigo proprietário.
5 – As lagoas
No interior da ilha das Flores encontramos 7 crateras vulcânicas que entretanto se transformaram em lagoas. A Caldeira Rasa e a Caldeira Funda, são as minhas preferidas, tão próximas uma da outra e no entanto aparentemente tão longe, por estarem a cotas diferentes.
Mesmo no centro da ilha encontramos as lagoas Branca, Seca, Comprida, a Negra e a da Lomba.
A melhor maneira de aproveitá-las é percorrer o fantástico trilho entre o Miradouro das Lagoas e o Poço do Bacalhau: são 7 km de Natureza em estado bruto e pura tranquilidade.
6 – A Rocha dos Bordões
A Rocha dos Bordões é um conjunto de grandes colunas verticais de basalto.
Um dos monumentos naturais mais famosos dos Açores e ícone da paisagem florentina.

7 – Vista para o Corvo

8 – Caminhadas na Natureza

 

 

E a vida é mesmo bela!

One Comment Add yours

  1. MH diz:

    Que sorte que tiveram, com o tempo! Assim puderam aproveitar bem ,tudo o que essas lindas ilhas oferecem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s