Sevilha

O Lord Byron escreveu que “Sevilha é conhecida pelas sua laranjas e pelas suas mulheres” e também, poderão os seus visitantes certamente acrescentar, pelo calooor imenso que faz mesmo ainda nos primeiros meses do ano.

Sevilha é considerada o centro da música e da cultura flamenca e gitana pois é terra natal de muitos dos seus precursores.

A sua reputação de alegria, intensidade e vigor é amplamente merecida e expressa-se em grande escala durante a Semana Santa, na Páscoa e na Feria de Abril, na Primavera.

Mas para além disto, recuando um bom bocado no tempo, Sevilha foi uma das primeiras conquistas mouras durante o califato de Córdoba, no ano de 712, e transformou-se na segunda cidade do Al-Andaluz.

Os séculos seguintes, sob a autoridade dos sucessivos governantes árabes e berberes do norte de África, foram determinantes para o desenvolvimento da cidade, na arte e na arquitectura, que culminou na construção do edifício mais bonito de Sevilha, onde finalmente pus os meus olhos, e pés… A Giralda.

eb8c3-2013-04-2116-57-41

A Giralda era o minarete da mesquita de Sevilha e o epítome máximo da arquitectura do período Almohad. Tal era a sua fama, que de acordo com algumas opiniões, terá servido de modelo para a construção de outros minaretes nas cidades imperiais, como por exemplo a Koutoubia de Marrakech… mas outras opiniões dirão que foi ao contrário.

A mim, importa-me apenas o facto de ambas estarem eternamente interligadas como impressionantes e belíssimos monumentos do mundo islâmico.

Junto à Giralda encontramos o Pátio dos Naranjos, que ainda guarda a antiga fonte moura usada para as abluções diárias antes das orações, e as fotogénicas laranjeiras milimetricamente organizadas com o seu próprio sistema de rega, contemporâneo da fonte.

Mas apesar da minha insistência, Sevilha não é só a Giralda!

Para além das mega-festas anuais, encontramos sempre as ruas estreitas e medievais do bairro de Santa Cruz, a Plaza de España, o flamenco e os gitanos de Triana, a icónica praça de touros La Maestranza, a antiga fábrica de tabaco onde trabalhava a “Carmen” de Bizet, os melhores bares de tapas, a melhor animação nocturna, o Rio Guadalquivir, a sombra de um laranjeiro em cada pátio… tudo o que é na sua essência… Andaluz.

2 Comments Add yours

  1. FM diz:

    Hum…cara lavada e logo com a bela e quente Andalucia
    me gusta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s