Espectáculo Heráldico

12-Setembro-2009

A viagem começa às 05h00 da manhã no aeroporto de Lisboa depois de uma maratona a fazer a mala com a problemática do “que roupa colocar na mochila capaz de cobrir a amplitude térmica de -5ºC/20ºC em 3 semanas”.
Problemática apenas porque não contávamos ficar mais que 1 noite em cada sítio, o que torna difícil as actividades relacionadas com lavandaria, nem tão pouco o clima seria apropriado a aventuras de lavar/secar roupa da noite pró dia.
Sendo assim, a técnica foi a de colocar 1º o indispensável e entupir o resto do espaço com o possível. Cheguei assim à mochila mais pesada de sempre… 15kg, ¼ de X.

A minha mochila tem agora mais 2 bandeiras que a transforma num espectáculo heráldico que roça o ridículo e apesar do tempo que passou, agora parece-me que ainda ontem a abri pela última vez…

A minha preocupação principal – pois sou uma pessoa preocupada – é a possibilidade das mochilas não chegarem a La Paz. São no total 28h de viagem, 2 escalas e um destino à partida pouco movimentado, que me levam a sair de Lisboa pessimista.

O aeroporto de Madrid saúda-nos cedo… já o conheço, é moderno, estamos em casa. A grande desvantagem é não se conseguir tomar o pequeno almoço por menos de 6 euros.

O vôo para Miami foi agradável. 9h dão para conversar e dormir. Entramos nos States com as perguntas do costume (“Where do you work?!” “Where is Lisbon?” “Husband and wife? yes or no!”), mas aqui são uns States diferentes. São uns States muito latinos. A única coisa igual é o sotaque americano, as notas de dollar e os carros XXL.

Apanhamos um bus para South Beach (SoBe), aqui as ruas também se organizam por números. Está calor e as pessoas na praia apesar do céu carregado. Paramos para uma Corona geladinha. Depois chove torrencialmente, mas no caminho de volta ao aeroporto temos uma visão magnifica do skyline da cidade.

O 3º vôo atrasa-se. Estamos cansados. É muito difícil estar acordado. Está frio dentro do aeroporto. Dormimos no chão. As crianças gritam ao nosso lado. Despertam os meus instintos assassinos.

Depois, à medida que nos aproximamos de La Paz, percebemos que vamos aterrar numa cidade que está por cima das nuvens. Um cobertor branco e fofinho só rasgado aqui e ali por picos montanhosos e rugosos. Nunca vi nada assim. Entusiasmo-me.

Na imigração são muito simpáticos e do lado de lá do guichet reparo em duas mochilas que rolam preguiçosas e gordas no tapete. Uma delas tem bandeiras cosidas. Um espectáculo heráldico a roçar o ridículo…

Estou descansada, chegámos.

2 Comments Add yours

  1. JÁ tinha lido ontem mas infelizmente não tive tempo para comentar.

    Ainda bem que as malas chegaram bem depois de tantos transbordos!

    Só falta mesmo uma fotografia do espectáculo heráldico! Gostava de ver =)

    Aeroporto de Madrid = caro e mau.. Nós jantamos à força o aeroporto porque já não tinhamos mantimentos. Pagamos no total 12 euros e ficámos indignadas pois pagámos isso por dois croissants minúsculos e ranhosos com queijo ressequido lá dentro (sempre era melhores que as baguetes mas as 10 da noite não podiamos pedir melhor). Mas enfim, ficámos muito chateadas pois o valor desse jantar (lanche?! ceia?!) ficou quase ou tão caro como dois pratos (saborosos) numa taberna grega!

    Estou mesmo ansiosa para ver estes relatos :))

  2. o Vento diz:

    finalmente consigo um tempito para ler o registo desta tua viagem de que só conheço o principio (5 da manhã), mas, á excepção das 28h, sei que iria adorar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s