Hill Tribe Trek

3-Novembro-2008

Chiang Mai é o principal destino para fazer trekking na Tailândia.

Muito por causa da beleza das montanhas junto à fronteira com a Birmânia/Myanmar, mas também por causa das tribos que estas montanhas albergam tornando possível um encontro inter-cultural no meio da natureza.

Organizam-se então os chamados “Hill Tribe Trek” em que durante 3 ou 4 dias a pé se visitam algumas tribos.

Uma destas tribos é aquela em que as mulheres usam argolas no pescoço para alongá-lo – as mulheres-girafa. Acho esta cultura muito interessante. Há especialistas que defendem que não é o pescoço que sobe mas sim os ombros que descem e dão-lhe explicações científico-anatómicas complicadíssimas…
Para elas é algo importante… simplesmente para se sentirem mais bonitas.

(Foto: freshpics.com)

Pois nós –infelizmente– não viemos cá para fazer trekking. Por falta de tempo e com grande pena minha, Chiang Mai figurou apenas no capítulo de “arquitectura e templos” do nosso itinerário.

Quem tem pouco tempo, pode ainda assim visitar uma destas aldeias Hmong que fica a escassos quilómetros de Doi Suthep… de estrada incrivelmente esburacada e muitas vezes intransitável…

É uma aldeia tradicionalmente comercial para os day trippers que visitam Doi Suthep.
Os habitantes têm bancas à porta das suas casas onde vendem as suas mercadorias, sejam elas artesanato, tecidos, especiarias. Dentro de casa trabalham tranquilamente no seu ofício.

Mas rapidamente nos fazemos ao caminho. Vamos em direcção a outra aldeia a 7km dali, mais inacessível, tanto que demoramos cerca de meia hora a chegar lá.
Não sei o que estávamos à espera de ver pois quando chegamos… não vemos nada.
Meia dúzia de casas de madeira, meia dúzia de galinhas, 1 gatinho sozinho, cereais ao sol a secar, 1 velhote sentado à sombra, 3 porquinhos.

Tudo no maior dos silêncios.
A verdade é que nos sentimos uns anormais por estar ali e pelo barulho que faz a nossa mota.
Por isso saímos rapidamente e voltamos à estrada esburacada.

2 Comments Add yours

  1. Anónimo diz:

    até tempo para ver umas aldeias arranjaram, vocês deve ser sempre a acelerar ou então organizaram muito bem a viagem.

  2. turbolenta diz:

    Esses imprevistos também fazem parte da viagem.Pelo menos é um conceito diferente de turismo.boa semana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s